8 pratos “estranhos” da gastronomia portuguesa

Em primeiro lugar vale a pena ressaltar que quando dizemos pratos “estranhos” da gastronomia portuguesa referimo-nos a um sentido mais literal da palavra, em que estranho significa diferente ou não familiar, tendo em conta os hábitos e costumes de outras pessoas do mundo. Além disso, o fato de não serem familiares a algumas culturas não quer dizer que não sejam saborosos, muito pelo contrário. Se são tão populares e apreciados é por alguma razão. No mais, achamos que quando se visita outro país ou outra cultura, parte da descoberta é também experimentar o que há de mais “local” e isso inclui a gastronomia. Um país tão conhecido pelas suas delicias como é o caso de Portugal merece esse crédito por parte dos estrangeiros.

Dito isto, vamos a nossa seleção de 8 pratos estranhos da gastronomia portuguesa:

 

  1. Caracóis

Os caracóis são moluscos terrestres conhecidos pelas conchas que “carregam as costas”. Em alguns lugares do mundo são considerados iguarias e Portugal é um destes. O caracol é deixado de jejum por alguns dias e depois é fervido lentamente em água com especiarias e azeite. O petisco que é rico em proteínas é muito popular durante o verão.

Caracóis - Foto: Isa Costa (Wikimedia Commons)Caracóis – Foto: Isa Costa (Wikimedia Commons)

 

  1. Tripas a Moda do Porto

Este é um prato tradicional do Norte do país que é confeccionado com enchidos, feijão e tripas (estomago do animal). Apesar dos ingredientes não parecerem tão atrativos aos olhos de alguns, o prato foi finalista no concurso 7 Maravilhas da Gastronomia Portuguesa.

Tripas a Moda do Porto - Foto: Maria Cartas (Wikimedia Commons)Tripas a Moda do Porto – Foto: Maria Cartas (Wikimedia Commons)

  1. Arroz de Cabidela

O prato consiste no arroz cozido com frango/galinha juntamente com o sangue do próprio animal. O sangue é drenado e mistura com vinagre, que corta um pouco do sabor forte do sangue.

Arroz de CabidelaArroz de Cabidela

  1. Arroz de Sarrabulho

Este prato acompanha o mesmo estilo do anterior, no entanto é cozido com sangue de porco. Relativamente as carnes usadas na cozedura podem além do porco levar carne de vaca ou frango/galinha.

 

 

  1. Morcela

Trata-se de um enchido que as vistas se parece com um chouriço bem escuro. No entanto esta versão é feita à base de sangue e gordura de porco. Podem haver algumas variações dependendo das regiões e dos ingredientes.

Morcelas - Foto: Adrião (Wikimedia Commons)Morcelas – Foto: Adrião (Wikimedia Commons)

  1. Enguias

A enguia é um tipo de peixe que é conhecida por parecer uma cobra do mar. Em Portugal é apreciada sobretudo na região norte, onde é apreciada normalmente frita ou ensopada.

EnguiasEnguias

  1. Couratos

O Courato é basicamente a pele do porco. Ela é bastante consumida grelhada e servida no pão, na chamada “Sandes de Courato”. Outra forma popular de consumo são os Torresmos de Courato, nesta versão a pele do porco é servida frita como aperitivo.

Courato - Foto: Takeaway (Wikimedia Commons)Courato – Foto: Takeaway (Wikimedia Commons)

  1. Caneja de Infundice

Este é um prato típico da Vila da Ericeira, no litoral português. Neste caso a caneja (espécie de cação) é curada por cerca de 8 a 15 dias, embora algumas pessoas deixem mais ou menos tempo. O processo de cura deve ser feito com o peixe embrulhado num local escuro ou até mesmo enterrado. Após este período o peixe é preparado com muito azeite e servido normalmente com batatas. É difícil encontrar um restaurante que sirva o prato, visto o preço, o tempo de preparo e sobretudo o odor que exala, que muitos descrevem como cheiro de urinol mal lavado.

Gostas deste post? Partilha com os amigos!

Pin It on Pinterest